27/10

Tag : Brasil Surf Pro

Briga pelo título na etapa carioca do Brasil Surf Pro

Tomas Hermes é o líder do ranking e o surfistas mais verde do campeonato até o momento


Em seus 25 anos de história, o circuito nacional de surfe acumula lindos duelos, histórias de superação e brigas acirradas pelo lugar mais alto do pódio. E o Brasil Surf Pro de 2011 não fica para trás. Na quarta etapa do Circuito Brasileiro, que será realizada de 2 a 6 de novembro no tradicional pico do posto 4 da Praia da Barra da Tijuca, no Rio – que recebeu a etapa do campeonato mundial em maio deste ano – a disputa pela liderança tem tudo para ficar ainda mais emocionante. Em primeiro lugar no ranking, o catarinense Tomas Hermes leva uma certa vantagem sobre os concorrentes, mas o baiano Bruno Galini, o cearense Messias Felix e o experiente paulista Odirley Coutinho, que acumula três vice-campeonatos do circuito, prometem não dar moleza ao líder.

No feminino, a paraibana Diana Cristina pode garantir o título antecipado da competição. Desde a etapa carioca do ano passado, Tininha não perdeu sequer uma bateria e está a 600 pontos da segunda colocada, a catarinense Juliana Quint. A temporada foi aberta na Praia do Cupe, em Pernambuco, passou por Búzios, no litoral fluminense, e contou com ótimo nível de surfe na Praia de Itamambuca, em Ubatuba, São Paulo.

Na etapa paulista, as ondas contribuíram e permitiram o show dos surfistas, embolando ainda mais o ranking masculino e fazendo despontar novos nomes na disputa pelo título. O ubatubense Odirley Coutinho, de 31 anos, conquistou o primeiro lugar e, se no começo do ano parecia ser um coadjuvante no campeonato, agora vem para a briga do título brasileiro.

“Conquistei o vice-brasileiro em 2001, 2004 e 2006. Agora vou trabalhar pelo título de campeão”, comemorou o surfista após a vitória no litoral paulista.

Mesmo eliminado nas quartas-de-final em Ubatuba, Tomas Hermes manteve a liderança do circuito, com 2.110 pontos. O catarinense começou a disputa com uma nota 8,17 logo em sua primeira onda, mas perdeu a invencibilidade, que já vinha desde o ano passado, para o cearense Messias Felix. Foi a terceira onda acima de oito de Hermes em Ubatuba e a sétima na temporada, que lhe dá a liderança também na briga pelo título de surfista mais verde do ano.

Campeonato Verde

A praia da Barra não será o único palco da quarta etapa do Brasil Surf Pro. O campeonato mais verde do mundo não deixa de lado seu compromisso com a sustentabilidade e trará melhorias para a região, com o replantio de mudas de mangue e restinga na Lagoa de Marapendi, e, mais ainda, para a consciência ambiental da população, com atividades voltadas para escolas e projetos sociais.

Na plataforma Petrobras Surf pelas Florestas, montada no posto 4, visitantes e atletas poderão se informar sobre o ecossistema local com instalações interativas, distribuição de sementes e mudas de árvores nativas da Mata Atlântica em homenagem ao Ano Internacional das Florestas.

No projeto “surfistas verdes”, cada onda com pontuação a partir de oito proporciona o plantio de cinco árvores. Para a nota máxima, dez vezes mais árvores, somando 50 novas fontes de vida para o planeta. A estimativa é que os “surfistas verdes” sejam responsáveis pelo plantio de 500 mudas até o final do evento.

Confira como ficou o ranking depois da etapa de Ubatuba

Masculino

1 |  2110 | Tomas Hermes | SC

2 | 1760 | Bruno Galini | BA

3 | 1730 | Messias Felix | CE

4 | 1680 | Odirley Coutinho | SP

5 | 1640 | Flavio Nakagima | SP

6 | 1610 | Marcio Farney | CE

7 | 1530 | Alan Jones | RN

7 | 1530 | Jano Belo | PB

9 | 1510 | Hizunome Bettero | SP

9 | 1510 | Tânio Barreto | AL

Feminino

1 | 2860 | Diana Cristina | PB

2 | 2200 | Juliana Quint | SC

3 | 1960 | Gabriela Leite | SC

4 | 1950 | Suelen Naraisa | SP

5 | 1860 | Tita Tavares | CE

6 | 1790 | Luana Coutinho | SP

6 | 1790 | Gabriela Teixeira | RJ

8 | 1720 | Bruna Queiroz | SP

9 | 1610 | Monik Santos | PE

10 | 1560 | Tais de Almeida | RJ

Compartilhe:

26/10

Tag : Brasil Surf Pro

Briga pelo título na etapa carioca do Brasil Surf Pro

IV etapa da competição será realizada na praia da Barra da Tijuca, de 2 a 6 de novembro, com ações ecológicas na Lagoa de Marapendi e muita conscientização ambiental


Chegou a vez do Rio de Janeiro receber a nata do surf brasileiro. A IV etapa do Brasil Surf Pro na Barra da Tijuca tem data certa, de 2 a 6 de novembro, mas a cidade continuará sentindo os bons fluidos da competição por muitos anos. Já conhecido como o campeonato mais verde do mundo, o BSP trará melhorias para o local, com o replantio de mudas de mangue e restinga na Lagoa de Marapendi, e, mais ainda, para a consciência ambiental da população, com atividades voltadas para escolas e projetos sociais.

As ações ambientais, no entanto, estão longe da limitação pontual. O campeonato como um todo tem como foco a sustentabilidade. A começar pela plataforma Petrobras Surf pelas Florestas. Montada no local da prova, ao lado do posto 4 da praia da Barra, a plataforma trará informações sobre o ecossistema, instalações interativas, distribuição de sementes e homenagem ao Ano Internacional das Florestas, com distribuição de mudas de árvores nativas da Mata Atlântica.

Antes mesmo das ondas locais se tornarem o palco principal dos surfistas, os carioquinhas irão mergulhar no Meio Ambiente do Parque Municipal Marapendi. Na terça-feira, dia 1º, escolas e projetos sociais farão uma excursão para conhecer o ecossistema da floresta com palestra, gincanas e caminhada pelas trilhas do parque.

No primeiro dia de competição, quarta-feira, crianças e jovens do Favela Surf Clube, Rocinha Surf Escola, Cades (Centro de Aprendizagem e Desenvolvimento do Surfe) e O´Surfe poderão assistir baterias entre os melhores atletas do Brasil e ainda participar das atividades educativas do projeto ambiental Petrobras Surfe Pelas Florestas.

Na parte da tarde, professores de surfe das escolas da Acaes (Associação Carioca das Escolas de Surfe) farão um curso de capacitação em pedagogia e gestão ambiental, conhecimento importante para ser posto em prática durante as aulas nas escolinhas de surfe. No final do curso, que será ministrado por feras do assunto como o coordenador do Surf pelas Florestas, Glenn Suba, a coordenadora da pedagogia ambiental, Bruna Nazarri, e o especialista em sustentabilidade e aquecimento global Roberto Vamos, as crianças receberão um certificado. O presidente da Feserj (Federação de Surfe do Estado do Rio de Janeiro) e gestor do Parque Marapendi, Abílio Fernandes, também participa da aula para a meninada.

O gerente de sustentabilidade do Brasil Surf Pro, Glenn Suba, falou sobre a importância das ações ambientais no Rio para tentar reverter problemas antigos de poluição da cidade.

“Os desafios ambientais no Rio são enormes. Talvez o principal seja o lançamento de esgoto sem tratamento na Baia da Guanabara, via emissários submarinos, e nas lagoas da Barra. Há tempos essa é uma questão recorrente nos debates sobre a cidade, mas ainda faltam investimentos nessa área. Fizermos um passeio de stand up pela linda Lagoa de Marapendi do Novo Leblon ao Barra Mares e vimos pelo menos dez pontos de lançamento de esgoto. O desenvolvimento da Barra não pode continuar desalinhado com os princípios de sustentabilidade e vamos chamar atenção para isso durante o cronograma das atividades do Surfe Pelas Florestas”, ressalta Glenn.

O Brasil Surf Pro também levará, nos outros dias do campeonato, escolas municipais e crianças de vilas olímpicas de comunidades do Rio à praia da Barra. Os surfistas não ficam de fora das ações. Além de inspirar futuros atletas a praticar o esporte, o seu desempenho nas ondas reflete diretamente na quantidade de árvores plantadas pelo Brasil Surf Pro. No projeto “surfistas verdes”, cada onda dropada com pontuação a partir de oito proporciona o plantio de cinco árvores. Para a nota máxima, dez vezes mais árvores, somando 50 novas fontes de vida para o planeta.

A estimativa é que os “surfistas verdes” sejam responsáveis pelo plantio de 500 mudas até o final do evento. Na primeira etapa da competição, no Cupe, foram 20 ondas no critério excelente, o que resultou no plantio de 100 árvores. Até o momento, mais de 200 mudas já foram plantadas pelos “surfistas verdes”, e mais de 400 pelo projeto. Tomas Hermes, campeão de duas etapas do Brasil Surf Pro, lidera o ranking verde.

A carboneutralização é outra novidade da competição deste ano. Todas as emissões de CO2 do campeonato e de seus participantes serão calculados e neutralizados com o plantio de um número correspondente de árvores no corredor ecológico Tinguá-Bocaina, também no Rio de Janeiro.

O programa Petrobras Surf Pelas Florestas conta com apoio do Ministério do Meio Ambiente que entendeu a importância do trabalho de sensibilização durante o Ano Internacional das Florestas (declarado pela ONU).

Agenda ambiental

Terça-feira | 1/11 – Excursão de escolas para Parque Municipal da Marapendi

Quarta-feira | 2/11 – Excursão dos projetos sociais de surfe para o campeonato e Curso de Capacitação em Pedagogia Ambiental para Instrutores de Surfe

Quinta-feira| 3/11 – Excursão das escolas municipais para o campeonato

Sexta-feira| 4/11 – Excursão de Vilas Olímpicas para o campeonato

Sábado | 5/11 – Bateria de Tag Team com os Projetos Sociais de Surf

Domingo | 6/11 – Mutirão de Limpeza da praia e atividades com Adapt Surfe – surfe para portadores de necessidades especiais

Compartilhe:

26/09

Tag : Brasil Surf Pro

Briga pelo título na etapa carioca do Brasil Surf Pro

Ubatubense derrota Nakajima e paraibana passa por Cláudia Gonçalves em final chuvosa e cheia de boas ondas.

O tempo fechou, mas as ondas melhoraram muito e permitiram o show dos surfistas nas baterias decisivas da terceira etapa do Brasil Surf Pro, que terminou neste domingo, na Praia de Itamabuca, em Ubatuba.

E a festa foi de São Paulo, com a vitória do ubatubense Odirley Coutinho, de 31 anos, que derrotou o também paulista Flávio Nakajima, de 24. No feminino a paraibana Diana Cristina manteve uma invencibilidade que vem desde o ano passado e conseguiu mais uma vitória na temporada, ao derrotar a paulista Cláudia Gonçalves por 13,17 a 7,03, abrindo boa vantagem no ranking. No masculino, mesmo eliminado nas quartas-de-final, o catarinense Tomas Hermes manteve a liderança, com 2.110 pontos.

A final foi disputada entre o surfista de melhor desempenho na etapa, Nakajima, e o que melhor se adaptou às condições deste domingo, Odirley Coutinho. O dia começou com ondas de pouco mais de um metro, mas na final chegavam facilmente a quase dois metros. O surfe de Odirley parece que também acompanhou o crescimento das ondas. Na final, ele não deu a menor chance para Nakajima, que fazia sua primeira final no Circuito Brasileiro. O surfista local marcou 17,33 contra apenas 9,10 de seu adversário.

Odirley deixou seu show particular para o domingo, dia que conseguiu três notas acima de oito pontos, que representam o plantio de quinza árvores na região. A primeira delas na vitória sobre o alagoano Tânio Barreto por 15,67 a 11 pontos, nas quartas-de-final. A bateria mais difícil foi mesmo contra outro surfista local, Wiggolly Dantas, que também estava com ótimo desempenho. No duelo de ubatubenses, o mais experiente levou a melhor por 14,77 a 14,00 pontos.

“Maravilhoso estar aqui com a minha mulher, deu tudo certo, com onda grande. Muito emocionante vencer em casa, com os amigos vendo. Adoro as ondas de Itamambuca, fortes. O mar estava muito bom. Acho que tenho muito surfe para mostrar ainda. Já conquistei o vice brasileiro em 2001, 2004 e 2006. Agora vou trabalhar pelo título de campeão”.

Já a final feminina foi equilibrada até um pouco depois da metade da bateria, quando Tininha finalmente encontrou as ondas e abriu boa vantagem sobre Claudinha, vencendo por 13,17 a 7,03.

Nas semifinais, Tininha não deu chances à Gabriela Teixeira, vencendo por 11,33 a 5,00 pontos. A emoção ficou reservada para a outra bateria da fase, na qual Claudinha Gonçalves conseguiu sua vitória sobre a catarinense Juliana Quint nos últimos segundos. A paulista precisava de uma onda 5,83 e marcou 5,90 para vencer por 10,67 contra 10,60.

Com a vitória, Tininha se distanciou da catarinense Juliana Quint, segunda do ranking:

“Tudo é treinamento, já venho focada desde o início do ano. Venci a primeira etapa no Nordeste e fiquei mais confiante. Depois de Búzios, a Juliana Quint veio coladinha no ranking, como ganhei aqui espero fazer a diferença. Já fui duas vezes vice-campeã brasileira e agora espero conquistar o título de campeã”, disse a paraibana.

Apesar de eliminado nas quartas-de-final, Tomas Hermes manteve a liderança do ranking. Nas quartas-de-final, mesmo com uma nota 8,17 logo em sua primeira onda, ele perdeu a invencibilidade que já vinha desde o ano passado. Foi a terceira onda acima de oito de Hermes em Ubatuba e a oitava na temporada, que lhe dá a liderança também na briga pelo título de surfista mais verde do ano.

“A bateria foi difícil. Comecei com uma nota excelente, mas não consegui trocar a nota dois. De qualquer maneira, saio de Ubatuba feliz por manter a liderança do ranking e também entre os surfistas verdes. Consegui plantar árvores em todas as etapas”, disse Hermes.

Após a terceira etapa, o baiano Bruno Galini se manteve em segundo lugar do ranking, mas Messias Felix agora aparece em terceiro, seguido por Odirley e Nakajima.

Antes das finais, o Projeto Tamar devolveu quatro tartarugas ao mar, dentro das ações ambientais que marcaram a etapa.

Resultados

MASCULINO

Final
Odirley Coutinho (SP) 17,33 x 9,10 Flávio Nakajima

Semifinais
Odirley Coutinho (SP) 14,77 x 14,00 Wiggolly Dantas (SP)
Flávio Nakajima (SP) 9,66 x 9,20 Messias Felix (CE)

Quartas-de-final
Odirley Coutinho (SP) 15,67 x 11,00 Tanio Barreto (AL)
Wiggolly Dantas (SP) 11,00 x 7,25 Hizunome Bettero (SP)
Messias Felix (CE) 13,17 x 11,57 Thomas Hermes (SC)
Flávio Nakajima (SP) 16,07 x 13,10 Alex Ribeiro (SP)

FEMININO

Final
Diana Cristina (PB) 13,17 x 7,03 Cláudia Gonçalves (SP)

Semifinais
Diana Cristina (PB) 11,33 x 5,00 Gabriela Teixeira (RJ)
Claudia Gonçalves (SP) 10,67 x 10,60 Juliana Quint (SC)

Classificação Masculino

1. Odirley Coutinho (SP)
2. Flávio Nakajima (SP)
3. Wiggolly Dantas (SP)
3. Messias Felix (SC)
5. Hizunomê Bettero (SP)
5. Tomas Hermes (SC)
5. Alex Ribeiro (SP)
5. Tânio Barreto (AL)

Rankings (colocação | pontos | nome | estado)

MASCULINO
1 | 2110 | Tomas Hermes | SC
2 | 1760 |  Bruno Galini | BA
3 | 1730 | Messias Felix | CE
4 | 1680 | Odirley Coutinho | SP
5 | 1640 |  Flavio Nakagima | SP
6 | 1610 | Marcio Farney | CE
7 | 1530 | Alan Jones | RN
7 | 1530 | Jano Belo | PB
9 | 1510 | Hizunome Bettero | SP
9 | 1510 | Tânio Barreto | AL

FEMININO
1 | 2860 | Diana Cristina | PB
2 | 2200 | Juliana Quint | SC
3 | 1960 | Gabriela Leite | SC
4 | 1950 | Suelen Naraisa | SP
5 | 1860 | Tita Tavares | CE
6 | 1790 | Luana Coutinho | SP
6 | 1790 | Gabriela Teixeira | RJ
8 | 1720 | Bruna Queiroz | SP
9 | 1610 | Monik Santos | PE
10 | 1560 | Tais de Almeida | RJ

Compartilhe:

21/09

Tag : Brasil Surf Pro

Briga pelo título na etapa carioca do Brasil Surf Pro

Competição rola na praia de Itamambuca. Ranking embolado torna a etapa paulista fundamental para a briga pelo título brasileiro

Depois das competições no nordeste e no Rio de Janeiro, chegou a hora de Ubatuba, no litoral paulista, receber a terceira etapa do Brasil Surf Pro. As disputas do campeonato brasileiro começam nesta quarta-feira, dia 21, na Praia de Itamabuca, com a participação dos 80 melhores surfistas em atividade no Brasil. O circuito nacional mais forte do mundo, que completa 25 anos de história este ano, é composto por cinco etapas e premiação total de R$ 1 milhão. A disputa na ponta do ranking está embolada, com sete surfistas de sete estados nas primeiras posições. Do primeiro, Tomas Hermes (SC), com 1500, ao sétimo, Simão Romão (RJ), com 1010, a diferença é de menos de 500 pontos.

Mas o líder chega determinado. Tomas Hermes desembarca no circuito nacional após conquistar o terceiro lugar no San Miguel Pro Zarautz, etapa circuito 6 estrelas da ASP, disputado na Espanha, no início de setembro.

“Depois de Búzios participei das etapas do mundial WQS na Europa e fui finalista no San Miguel Pro Zarautz, na Espanha onde fiquei em terceiro lugar. Também viajei para os Estados Unidos, passei os últimos meses treinando e competindo bastante. A etapa de Ubatuba já é uma tradição dentro do circuito e as minhas expectativas são as melhores”, explica Tomas Hermes.

Os atletas locais estão animados por competir em casa. No feminino quem chega forte é local de Itamambuca, Suelen Naraísa. A bicampeã está empenhada em garantir mais uma etapa para se aproximar de Diana Cristina, atual líder do ranking. No masculino quem representa o surfe local é o paulista Hizunome Bettero. O atual líder do circuito paulista espera melhorar a 11º colocação no Brasil Surf Pro.

As disputas do Brasil Surf Pro poderão ser acompanhadas ao vivo no site da competição.

Compartilhe:

21/09

Tag : Brasil Surf Pro

Briga pelo título na etapa carioca do Brasil Surf Pro

Entre os dias 21 e 25 de setembro, o Brasil Surf Pro chega a Ubatuba (SP) para mais uma etapa reunindo os principais surfistas do Brasil num dos maiores e mais importantes campeonatos da modalidade no país. Patrocinadora do evento, a Petrobras levará para a Praia de Itamambuca, a partir desta quarta-feira, Dia da Árvore, diversas atividades da plataforma sustentável “Surfe Pelas Florestas” com o objetivo de informar, educar e engajar a sociedade local e os surfistas em torno do tema da preservação das florestas.

O projeto Petrobras Surf Pelas Florestas reúne ações como espaços de conhecimento e integração socioambiental, palestras, visitas de escolas com equipe pedagógica, celebração do Dia da Árvore com mutirão de plantio, expedição de conhecimento e limpeza do Rio Itamambuca, além da soltura de tartarugas marinhas. As atividades possibilitarão à comunidade, às lideranças socioambientais locais, aos surfistas e ao público geral ter uma convivência com a cultura da sustentabilidade, por meio de ações de engajamento e conhecimento dos bons exemplos de sustentabilidade da região.

Para Rosane Aguiar, gerente de Programas Ambientais da Petrobras, a plataforma sustentável do Brasil Surf Pro está alinhada ao compromisso da Companhia com o desenvolvimento sustentável. “Além de cuidar da gestão ambiental dos produtos e processos, a Petrobras, por meio do Programa Petrobras Ambiental, investe em projetos que buscam a preservação dos nossos rios, florestas e também da biodiversidade marinha. Integrar assuntos tão importantes no campeonato de surfe é uma oportunidade de juntar esforços em prol da conservação ambiental em nosso país”, afirma Rosane.

“As belezas naturais de Ubatuba e o cenário espetacular do local do campeonato na Praia de Itamambuca nos inspirou muito quando desenvolvemos o projeto Petrobras Surf Pelas Florestas. Com a maior cobertura florestal do país (90%) e uma comunidade ambiental muito engajada de ONGs, projetos e ambientalistas, o município da Ubatuba mostrou os melhores resultados de continuidade das iniciativas realizadas nesta etapa no ano passado”, comenta o gerente de sustentabilidade do Brasil Surf Pro, Glenn Suba.

Um marco do Brasil Surf Pro é seu plano de gestão ambiental, que desenvolveu critérios e práticas para a preservação das praias visitadas pelo circuito, como a preservação da vegetação de restinga e destinação correta dos resíduos gerados.

Um dos destaques desse ano é o projeto Surfista Verde, no qual cada onda surfada que receber nota igual ou acima de oito corresponderá ao plantio de cinco árvores. Já a tão esperada nota 10 vai gerar 50 plantios.

O programa ambiental do Brasil Surf Pro terá um amplo espaço na praia para a exposição “Ubatuba Sustentável”. Lá serão apresentados projetos patrocinados pela Petrobras, entre eles o Tamar, que tem base na cidade.

Entretenimento – Durante o campeonato os visitantes também poderão participar de um desafio em prol da sustentabilidade numa estrutura de “surfe mecânico”. O desafio consiste em ficar oito segundos sobre a prancha para garantir o plantio de uma muda em áreas de projetos ambientais.

A Petrobras também colocará à disposição do público uma tenda com redes, onde o visitante poderá conhecer os projetos ambientais patrocinados pela Companhia em vídeos exibidos em iPads. Para as crianças, o espaço oferecerá oficinas de arte e meio ambiente, jogos e plantio virtual de mudas por meio do site do filme Tainá 3, patrocinado pela Petrobras.

Programação

20/09 – Visita da equipe pedagógica Surf Pelas Florestas nas escolas municipais do extremo norte do município;

21/09 – Mutirão de plantio de árvores próximo ao Rio Itamambuca em celebração ao Dia da Árvore, aberto a participação do público e atletas;

22 e 23/09 – Visitação de escolas municipais e Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) ao evento;

24/09 – Café da manhã sustentável com projetos ambientais locais patrocinados pelo Programa Petrobras Ambiental: Tamar, Mantas do Brasil (projeto de identificação, monitoramento e preservação da raia manta) e Juçara (projeto com o objetivo de retirar a palmeira juçara da lista das espécies em risco de extinção). Em seguida, será realizada expedição ao Rio Itamambuca, aberta ao público e atletas;

25/09 – Soltura de tartarugas marinhas pelo Projeto Tamar na praia de Itamambuca, na área do campeonato.

Compartilhe:

18/07

Tag : Brasil Surf Pro

Briga pelo título na etapa carioca do Brasil Surf Pro

Masculino parou nas oitavas-de-final, enquanto no feminino faltou apenas a disputa da final. Tomas Hermes e Diana Cristina seguem na liderança do ranking.


O mar realmente não colaborou e as fases finais da segunda etapa do Brasil Surf Pro, em Búzios, tiveram de ser cancelada por falta de ondas neste domingo. No feminino, faltava apenas a final entre a paraibana Diana Cristina e a catarinense Juliana Quint, mas no masculino a disputa parou nas oitavas-de-final.

Desta forma, Tininha e Juliana somaram 860 pontos cada (a pontuação do segundo lugar), enquanto os 16 do masculino terminaram em nono lugar, com 500 pontos para cada. A premiação foi dividida de forma igual.

Diana Cristina e Juliana Quint

O catarinense Tomas Hermes, com os 500 pontos que ganhou, manteve a liderança do ranking, com 1.500 pontos, enquanto Tininha ficou na ponta com 1.860 pontos. A próxima etapa do Brasil Surf Pro será em Ubatuba, em setembro.

“Fizemos o possível. Esperamos ao máximo por uma melhora do mar, mas acabou que isso não aconteceu. Como não havia previsão de melhora significativa, tivemos de cancelar”, explicou Marcelo Andrade, diretor-executivo da Associação Brasileira de Surfe Profissional.

O fim de semana foi marcado por chamadas para tentativas de recomeçar as disputas e reuniões entre surfistas e organização. Se no sábado a decisão de não realizar a competição foi tomada por esmagadora maioria, neste domingo a votação entre os atletas foi de 9 a 7 pelo cancelamento.

A praia de Geribá, em Búzios

Diana Cristina não concordou com a decisão, mas ficou satisfeita com o resultado.

“Fiquei triste quando anunciaram, pois já competi em condições piores. De qualquer jeito fiquei muito feliz de ter feito mais um pódio. Não foi do jeito que eu queria, pois não tinha onda. Vou treinar bastante espero encontrar um mar muito bom em Ubatuba”, analisa Diana.

Para a atleta Tomas Hermes a organização fez a escolha certa: “Não tinha como ter campeonato, pois não tivemos ondas. Independente disso ainda tem muita coisa para acontecer. Não estou pensando na liderança do circuito, estou focado na minha atuação, passar uma bateria de cada vez, estou me descobrindo em cada etapa. Vou seguro para o campeonato em Ubatuba”, finaliza Hermes.

Compartilhe:

14/07

Tag : Brasil Surf Pro

Briga pelo título na etapa carioca do Brasil Surf Pro

Acompanhe ao vivo a segunda etapa do Brasil Surf Pro, que vai até o dia 17 de julho na Praia de Geribá (Búzios), no Rio de Janeiro.

Compartilhe:

12/07

Tag : Brasil Surf Pro

Briga pelo título na etapa carioca do Brasil Surf Pro

Na temporada em que comemora os 25 anos, o Circuito Brasileiro volta à Praia de Geribá e surfistas prometem show em nome do meio ambiente

A partir desta quarta-feira a praia de Geribá, no Balneário de Búzios, recebe os principais nomes do surfe brasileiro para a segunda etapa do Brasil Surf Pro. A competição da elite masculina e feminina brasileira abriu a temporada de surfe em Cupe, Pernambuco, e agora promete arrasar no “beach break” de Geribá.

O atual campeão brasileiro, Jean da Silva, é um dos favoritos. “Estou bastante confiante para essa etapa, essa é a segunda vez que irei competir em Geribá. Cheguei alguns dias antes para me adaptar às ondas”, explica Jean. Outro que aparece bem é Jano Belo. O paraibano chegou à quarta fase do WQS Prime, que rolou na última semana na África do Sul.

O atual campeão brasileiro, Jean da Silva

Esse ano o Brasil Surf Pro tem mais um motivo para comemorar. Além da super premiação, o campeonato brasileiro completa 25 anos. Para o diretor executivo da Abrasp, Marcelo Andrade, o surfe vive um grande momento. ”O Circuito Brasileiro atingiu o prêmio de 1 milhão de reais, que era um grande sonho dos atletas e da organização. Esse valor dá força para modalidade. É uma meta que foi alcançada pela Abrasp e pelos atletas, com o apoio dos patrocinadores. O surfe só vem crescendo”.

Outra pessoa que acompanhou essa evolução é a experiente surfista Andréa Lopes. Mesmo com o anúncio da aposentadoria no fim do ano passado a tetracampeã brasileira não resistiu aos charmes e ao mar de Búzios. “Esse ano eu me permiti não competir, mas é difícil largar o osso. Faço isso desde os 14 anos e abandonar do nada é muito estranho. Essa etapa será ótima pelo lugar, pelas ondas. Estarei 100% nas ondas”, empolga-se Andréa.

Os melhores surfistas do Brasil prometem um show de manobras em busca dos R$ 200 mil de prêmio oferecidos na etapa de Búzios, que acontecerá de 13 a 17 de julho.


Ranking Brasil Surf Pro 2011

Masculino

1 Tomas Hermes (SC) – 1.000 pontos

2 Bruno Galini (BA) – 860

3 Alan Jones (RN) – 730

3 Jano Belo (PB) – 730

5 Marcio Farney (CE) – 610

5 Caio Ibelli (SP) – 610

5 Krystian Kymerson (ES) – 610

5 Simão Romão (RJ) – 610

Feminino

1 Diana Cristina (PB) – 1.000 pontos

2 Tita Tavares (CE) – 860

3 Luana Coutinho (SP) – 730

3 Gabriela Leite (SC) – 730

5 Suelen Naraísa (SP) – 610

5 Monik Santos (PE) – 610

5 Juliana Quint (SC) – 610

5 Gabriela Teixeira (RJ) – 610

Surfe com consciência ambiental

Durante os dias de campeonato, a praia e a cidade se movimentarão além da maré das ondas. Diversas atividades agitarão não só a areia, mas todo o balneário em torno do tema “preservação das florestas”.

Durante as cinco etapas de 2011 da maior competição de surfe do país acontecerão ações a fim de informar, educar e engajar a sociedade local e os surfistas, dentro da plataforma sustentável Surf Pelas Florestas, criada pela Petrobras, patrocinadora oficial do Brasil Surf Pro.

Entre as expedições educativas que rolarão em Búzios estão excursões com crianças do município pelas APAs da região. Elas farão plantio de mudas, mutirão de limpeza e reconhecimento da fauna e flora local, em parceria com a Secretaria do Meio Ambiente que explicará para os alunos a importância desta unidade de conservação para a região.

Na opinião do consultor ambiental do Brasil Surf Pro, Glenn Suba, “esses ecossistemas oferecem uma oportunidade única de fomentar a consciência do público participante sobre a importância que as florestas possuem em nossas vidas, assim como as áreas verdes em nossas cidades e as consequências da real possibilidade de seu desaparecimento”.

Os estudantes também terão oportunidade de curtir a área da competição. Eles visitarão o campeonato na Praia de Geribá, e serão recebidas pela equipe de sustentabilidade do BSP 2011 para visita guiada pela estrutura do evento. Além disso, gincanas ecológicas e atividades pedagógicas com foco na preservação das florestas e do meio ambiente completarão a empolgação dos jovens visitantes.

No fim de semana um Café da Manhã Socioambiental com mais de 90 convidados abordará em linhas gerais os desafios de Búzios. Já as crianças da Rocinha Surf Escola participarão de intercâmbio social. Elas serão levadas para Búzios e disputarão uma bateria especial, além de realizar o plantio de mudas na APA do Pau Brasil

Durante os cinco dias de campeonato haverá coleta seletiva e destinação final dos resíduos, além da inauguração oficial da Cooperativa de catadores COCARE do Búzios.

Surfistas Verdes: Para engajar nessa “onda” ambiental as feras do surfe o evento criou os “Surfistas verdes”. Cada onda surfada que receber nota igual ou acima de oito corresponderá ao plantio de cinco árvores. Já a tão esperada nota 10 vai gerar 50 plantios. A estimativa é que sejam plantadas 500 árvores até o final do evento para esta ação, dependendo da performance dos surfistas, que estão fazendo a parte deles. Na primeira etapa, no Cupe, foram 20 ondas no critério excelente, exatamente na média esperada de 100 árvores.

A carboneutralização é outra novidade. Todas as emissões de CO2 do campeonato e de seus participantes serão calculadas e neutralizadas com um número correspondente de árvores no corredor ecológico Tinguá-Bocaina no Rio de Janeiro.

Compartilhe:

12/07

Tag : Brasil Surf Pro

Briga pelo título na etapa carioca do Brasil Surf Pro

Oi pessoal!
Quarta-feira, dia 12, começa mais uma etapa do Brasil Surf Pro. O site oficial irá transmitir a competição ao vivo, direto da Praia do Cupe, em Pernambuco. Acompanhe! (mais…)

Compartilhe:

22/06

Tag : Brasil Surf Pro

Briga pelo título na etapa carioca do Brasil Surf Pro

A relação dos dez indicados para a segunda etapa do Brasil Surf Pro 2010, de 14 a 18 de julho na Praia do Cupe, em Ipojuca, litoral sul de Pernambuco, foi definida no sábado em Florianópolis. O Oakley Santa Catarina Surf Pro, válido pelo Circuito Catarinense, foi a terceira prova regional seguida de 1.000 pontos (mais…)

Compartilhe:

Older posts >>

POSTS

Nas Ondas
Seletiva Petrobras de Surfe Masculino
Circuito Petrobras de Surfe Feminino
Petrobras Longboard Classic
Brasil Surf Pro
Circuito Petrobras

ÁLBUM

TAGCLOUD